Diário de uma mãe em surto: e a saga continua...

Como sempre após o almoço meu marido simplesmente levanta a bunda da cadeira e vai para o quarto dar uma dormidinha para depois voltar ao trabalho. Na cabeça dele eu não faço nada e, portanto tenho mais é que me ferrar lavando tudo e arrumando a cozinha. Lá pelas tantas ele acorda do soninho, escova os dentes e sai resmungando alguma coisa que nunca escuto direito o que é. Também não importa.

Meu filho inventou que queria fazer brigadeiro e me fez a gentileza de sujar toda a cozinha por isso. Escutava os arrotos do filho maior lá no computador. Fui recolher a roupa que já estava seca e passar a montanha de roupas que me olhava com cara de monstro na medida em que ia aumentando. Aliás, não consigo entender como falta tanta roupa para esse povo na hora de vestir e na hora de passar elas brotam como um ataque fulminante de catapora.  Passei as roupas com certo desânimo e pensando como pode aumentar com tamanha velocidade a quantidade de roupas para passar. Após três horas passando roupas e fazendo verdadeiros malabarismos para conseguir passar os lençóis com elástico, meus filhos começaram a gritar pelo café da tarde. Olhei para a cozinha tão limpinha e me deu dó de sujar tudo novamente. Mas eles estão em fase de crescimento então coloquei uma mesa linda e os chamei para tomar café.

Eles vieram correndo como dois dinossauros famintos e montaram um sanduíche virado em maionese, pegaram um copo de leite com achocolatado e voltaram para o computador. Então retirei a mesa tão linda que havia arrumado e reorganizei a cozinha novamente. Eles só atiraram os copos sujos em cima da pia e saíram correndo novamente dizendo que iam dar uma voltinha e já voltavam. Lavei a louça e fui dar uma reorganizada no local em que meus filhos estavam. Comecei então a arrumar umas coisas na garagem e fazer alguns consertos em casa.

Olhei para o relógio, quase dezoito horas, fiz um chimarrão para esperar meu marido e fui tomar um banho. Estava exausta. Não aguentava a dor nos meus pés. Saí do banho sentindo-me bem melhor e meu marido já havia chegado do trabalho. Tomou um banho e sentou comigo para tomarmos um chimarrão. Conversamos sobre algumas coisas e fui assistir minha novela tão adorada enquanto descascava batatas para a sopa da noite. Mas estava meio gripada e meu corpo doía. Então pedi para meu marido pegar aquilo tudo e jogar numa panela para fazer o jantar porque eu ia me deitar um pouco. Foi então que ele disse:

- Pô! Tu não faz nada o dia inteiro e ainda quer que eu faça o jantar? Tô cansado. Tu nem imagina o que foi o meu dia hoje. O dia inteiro sentado na frente de um computador concentrado em planilhas com quase nada de tempo para falar com meus amigos nas redes sociais. Tenha dó!

Por isso, estou pensando em intensificar as idas à minha psicóloga, nossos encontros não serão suficientes. Não, preciso de algo mais forte, algo que somente um psiquiatra possa receitar.

 

 

Renata Miranda
Administradora de Empresas com MBA em Gestão de Pessoas
Master Head Trainer Coach
Escritora e Palestrante
Outros artigos
Coluna Vida&Carreira
Vida & Carreira
Vida & Carreira
Leia todos os artigos
Diário de uma mãe em surto: e o surto chega ao fim
Diário de uma mãe em surto: vigésima semana de tratamento
Diário de uma mãe em surto: quarta semana de tratamento psiquiátrico
Diário de uma mãe em surto: a descoberta das redes sociais
Diário de uma mãe em surto: o começo de uma revolução
Diário de uma mãe em surto: o começo do tratamento psiquiátrico
Diário de uma mãe em surto: o fundo do poço
Diário de uma mãe em surto: Noite de Natal
Diário de uma mãe em surto: Culpa Zero
Diário de uma mãe em surto: Angra dos Reis
Diário de uma mãe em surto: no bar do Otacílio
Diário de uma mãe em surto: cantada de pedreiro
Diário de uma mãe em surto: rapazinho robusto
Diário de uma mãe em surto: festa de aniversário
Diário de uma mãe em surto: reunião da escola
Diário de uma mãe em surto: mãe culpada
Diário de uma mãe em surto: Domingo de Páscoa
Diário de uma mãe em surto: Traumas de Infância
Diário de uma mãe em surto: primeiro dia na escolinha
Diário de uma mãe em surto: empregada canalha
Diário de uma mãe em surto: Último dia de licença maternidade
Diário de uma mãe em surto: Um mês após o nascimento
Diário de uma mãe em surto: existe vida pós-cesárea
Diário de uma mãe em surto: a volta pra casa
Diário de uma mãe em surto: o grande dia
Viajando de ônibus
Gente chata cansa
O que me falta
O lado B da gravidez
Confissões
Quando a política contamina o futebol
Dividir a vida
O que te move?
Eu, vocês e minha escrita
 
© CaçapavaOnline.net 2014 - Todos os direitos reservados.